Untitled Document

 

 

 

 

 

05/06/2017 às 16h57min - Atualizada em 05/06/2017 às 16h57min
Eduardo Caznok - União da Vitória(PR)
Tamanho da Fonte    A- A+

Inaugurada igreja monumental em Marcelino

Domingo, na Festa de Pentecostes deste ano, dia 04 de junho, foi inaugurada oficialmente a nova Igreja Santíssima Trindade na Colônia Marcelino, Município de São José dos Pinhais, em magnífica solenidade presidida por Sua Excelência Dom Volodemer Koubetch, OSBM – Arcebispo Metropolita, na presença de autoridades eclesiásticas e civis, sacerdotes e religiosas e muitos fiéis, vindos de várias localidades especialmente para prestigiar a inauguração e bênção de uma obra arquitetônica realmente monumental: uma igreja moderna de estilo bizantino-ucraniano.


A colônia é o segundo maior produtor de camomila do Paraná e o terceiro dos país, se destacando na paisagem e deixando uma suave fragrância no ar. Sua área é de 2.642.600 m2, e faz divisa com as localidades de Campestre, Faxina, Espigão, Rio Abaixo, Queimadas, Retiro e Colônia Matos, e com os municípios de Mandirituba e Fazenda rio Grande.


A comunidade católica ucraniana da Colônia Marcelino é uma das comunidades mais antigas e sempre se destacou pela sua gente batalhadora e pelo amor aos valores religiosos e culturais de sua própria etnia, porém em convivência pacífica com as demais. O nome da colônia homenageou o antigo proprietário de toda a extensão de terras da localidade, o coronel Marcelino José Nogueira, que facilitou a venda de glebas aos imigrantes e descendentes de ucranianos e poloneses. As primeiras famílias, vindas de Castelhanos, estabeleceram-se na Colônia Marcelino por volta de 1897, ato representado por um Cruzeiro, edificado em 1899, agora substituído por outro de concreto e uma placa de mármore.


Pertencendo à paróquia Nossa Senhora Auxiliadora em Curitiba, a comunidade foi fundada em 1902. No ano da fundação havia 265 paroquianos. A primeira igreja de madeira foi construída em 1904. A igreja em alvenaria de 25x18m foi construída entre os anos de 1924 (segundo Demétrio Nogas (in memoriam), 1927) e 1932. O padre que atendia a comunidade era Rafael Krenetskyj, OSBM e o construtor foi André Pohranetchney, o mesmo que construiu a atual igreja de Prudentópolis. Os pintores foram João Chevchuk e Basílio Kozlinski, ambos de Antonio Olinto. O campanário foi construído em 1967. As primeiras irmãs servas – Eustácia Uhren, Ambrósia Sabatovicz e Cristófora Melhnek – chegaram no dia 7 de maio de 1931, dando início aos trabalhos pastorais, educacionais e de assistência aos doentes. A escola, juntamente com o convento, foi denominada “Escola Sagrado Coração de Maria”. Em 1951, foi construído o convento em alvenaria, sob constantes incentivos do Pe. Rafael Lotoski, OSBM, obtendo muita ajuda de toda a comunidade, tanto ucraniana como latina. A casa paroquial foi construída em 1962 e o salão paroquial em 1980. Este foi ampliado duas vezes: a primeira, sob a gestão de Pedro Nogas, em 1983, quando foram construídos os botequins; e a segunda, em janeiro de 2003, com Mário Nogas, que ampliou o pavilhão.


No âmbito da comunidade ucraniana se destaca a presença da Casa de Repouso Nossa Senhora do Amparo, considerada a melhor do gênero na região. Idealizada pelo então Bispo Eparca Efraim Basílio Krevey, OSBM, sua construção iniciou em janeiro de 1986 e foi inaugurada dia 11 de dezembro de 1988. Como instituição assistencial oficial, a Casa de Repouso foi criada no dia 24 de junho de 1991. A administração da casa foi confiada à Congregação das Irmãs Servas de Maria Imaculada, atualmente sob a direção da Ir. Maurícia Gaiovis, SMI.


A comunidade de Marcelino ofereceu para o serviço da Igreja um número considerável de sacerdotes e religiosas. Padres Basilianos: Domingos e Estefano Starepravo; os Padres Krefer: Doroteu (in memoriam), Mateus, Eufrem e Arcenio e Adriano; e Sérgio Baran Ivankio. Irmãs Servas de Maria Imaculada: falecidas: Taícia Paranka Pudelko, Eleutéria Maria Skrobot, Emiliana Sofia Starepravo, Zita Sofia Boiko, Melécia Olga Drohomereski, Maria de Lourdes Ivainski, Andrea Olga Starepravo; na ativa: Genovefa Cieslinski (ex), Maria Anizia Cieslinski (ex), Deonísia Diadio, Josefa Angélica Guzik, Valdomira Anna Guzik, Basilina Josefa Ivankio, Bernarda Paraskevia Ivankio, Virgínia Tereza Ivankio, Adélia Olga Krefer, Nadia Krefer, Emília Nogas, Maria Inês Nogas, Teresinha de Lourdes Nogas, Verônica Nogas, Dominica Paulina Starepravo, Ana Mônica Starepravo.


Os jornais e sites da região enfatizam o fato de a comunidade ucraniana ser cultivadora assídua de seus costumes e tradições e que se tornou um dos principais pontos turísticos: os imigrantes ucranianos que povoaram aquela região construíram “umas das mais respeitadas comunidades do município”. “Da gastronomia à religião, do folclore às construções, tudo traz um pouco da história da Ucrânia e de sua gente. Na igreja da Santíssima Trindade, as missas são celebradas em ucraniano e acompanhadas com fervor pelos fiéis, que ainda preservam a língua do país de origem de seus pais e avós”. O Grupo Folclórico Soloveiko foi fundado em 1994 com o objetivo de manter vivas as tradições folclóricas da histórica Ucrânia, composto na sua maioria por descendentes de ucranianos. É altamente valorizada a tradicional Festa do Trigo, que este ano teve a sua 51ª edição. Na época, quando todo mundo plantava trigo, essa festa foi idealizada pelo Pe. Taras Oliynek, OSBM. Em agradecimento à boa colheita, a Festa do Trigo busca valorizar e preservar a tradição e a cultura dos imigrantes e descendentes de ucranianos. Os participantes da festa podem saborear alguns pratos típicos ucranianos como a “kutiá”, “varénneke”, “holuptzí” e outras iguarias. Tudo isso – graças às famílias que mantém até hoje os costumes herdados dos primeiros colonos, seja na alimentação e no idioma, seja também na fidelidade à Igreja Católica Ucraniana, na vivência da fé, prática religiosa e preservação do Rito Bizantino-Ucraniano.


Simbolicamente falando, é nesse terreno religioso-cultural muito fértil que foi semeada a semente da nova igreja Santíssima Trindade, que germinou, cresceu, se robusteceu e se tornou uma árvore grandiosa, que está produzindo flores e frutos muito lindos e deliciosos. Foi nesse rico contexto sociocultural que surgiu a ideia da construção da nova igreja – uma réplica de outra existente na Ucrânia, mais precisamente em Zarvanêtsia, que foi solenemente inaugurada na Festa de Pentecostes. Idealizada e impulsionada principalmente pelo Sr. Pedro Nogas, um dos principais representantes da Colônia Marcelino, entre projeto, execução e conclusão da obra, passaram-se 13 anos, período em que toda a comunidade trabalhou em prol da edificação. E foi levantada e acabada com recursos próprios, provenientes principalmente da realização anual das tradicionais Festa do Trigo.


Em entrevista ao Portal Metropolitano, dia 03 de junho de 2017, o Sr. Pedro Nogas falou sobre sua experiência de estar à frente de uma obra tão majestosa. Ele começou falando sobre uma viagem à Ucrânia, quando ele nem era Presidente-Executivo, mas que foi altamente inspiradora. Dom Efraim participou da mesma viagem e dizia a ele para escolher uma das igrejas como modelo para a nova igreja de Marcelino. Chegando a Zarvanêtsia e visitando a belíssima igreja, o Bispo lhe disse: “Pedrinho, que tal essa em Marcelino”? ao que Pedro reagiu dizendo que é quase impossível pela escassez de recursos. Foram feitas muitas fotografias e filmagens e se continuou pensando alguma coisa. De volta ao Brasil, o Pe. Teodoro achou que o Sr. Pedro seria o mais preparado para tocar a obra, a obra da construção, pois ainda não se falava sobre o modelo. Sendo eleito Presidente-Executivo, mesmo sob insistência das lideranças, não quis aceitar o cargo pelo cansaço das gestões anteriores e compromissos profissionais e familiares. Mas seu Pai Demétrio (in memoriam), que estava muito doente, lhe disse: “Filho, se te escolheram, siga!” A partir dessa inspiração e impulso paternal, Pedro assumiu a responsabilidade e, assim, corajosa e competentemente levou a obra a cabo, “não na forma de barracão, mas de uma igreja que tem significado”. Aos que resistiam por causa do alto custo, ele respondia: “se for para fazer, então vamos fazer uma coisa boa, uma coisa diferente”. Logicamente, ele enfrentou muitas dificuldades e desafios, pois uma grande construção cria problemas o tempo todo e causa muito estresse. Mas tudo foi superado, tendo a ajuda da maior parte da comunidade. “Quando uma obra magnífica como essa fica pronta para ser inaugurada é uma grande honra e isso dá muita satisfação e alegria”, desabafou aliviado o Sr. Pedro, que, além do suor da comunidade, ainda reconheceu especialmente a ajuda de sua esposa Neonilia. Emocionado e sentindo-se honrado e feliz, o Sr. Nogas lembrou o trabalho iconográfico muito profissional de sua irmã religiosa da Congregação das Irmãs Servas de Maria Imaculada, Verônica, preocupando-se com seu estado de saúde, porque a pintura ainda não foi concluída. Por sua vez, a Sra. Neonilia enfatizou a dedicação de sua própria família e da comunidade e a emoção final vivida nestes últimos dias: “todos foram muito gentis, todo mundo colaborou… ultimamente, a gente está se emocionando…, a obra chegou ao fim…, hoje está parecendo que nós estamos no céu”, disse ela ao Portal Metropolitano.


No dia 27 de janeiro de 2008, na 42ª Festa do Trigo, após a celebração da Divina Liturgia, em pleno canteiro de obras, foi lançada e abençoada a Pedra Fundamental da nova igreja em louvor à Santíssima Trindade, por Sua Excelência Dom Volodemer Koubetch, OSBM, Bispo Eparca dos ucranianos católicos no Brasil; estando também presente o Eparca Emérito Dom Efraim. O Pe. Teodoro Hanicz, OSBM, após ter enfatizado a celebração daquele dia, convidava a comunidade para participar da liturgia proferindo as seguintes palavras: “Convido a todos para agradecermos a Deus por este momento tão esperado e ao mesmo tempo rezar e pedir força e perseverança na realização desta grande e árdua obra que a comunidade ucraniana de Marcelino está lançando ombros”. Em sua homilia, Dom Volodemer disse: “O Pe. Teodoro e o Sr. Pedro Nogas, Presidente-Executivo, estão de parabéns pelo gosto estético e pela coragem de enfrentar o desafio de uma construção desse porte”.


Chegou o grande dia de louvor e glória a Deus e da alegria da comunidade, com seus amigos e convidados, de participar da inauguração de uma obra, que é fruto de seu suor e até lágrimas – domingo, dia 04 de junho, Festa de Pentecostes. Tendo se paramentado na antiga igreja, sob o canto à Padroeira Santíssima Trindade, às 9 horas, os celebrantes saíram em procissão até a escadaria da nova igreja, onde se fez a acolhida ao Arcebispo Metropolita Dom Volodemer Koubetch, OSBM e demais autoridades eclesiásticas e civis e ao povo presente. Em seu discurso, o Pe. Teodoro destacou: “Hoje, nesta festa tão solene, e neste dia tão pleno de graças, queremos agradecer e louvar a Deus por tudo, pois as riquezas das bênçãos foram tão infinitamente maiores do que todas as angústias, queixas e desânimos. A comunidade ucraniana, liderada pelo Presidente do Conselho Administrativo e seus Conselheiros, teve fé, ombros fortes, coragem e dedicação contínua na realização desta obra magnífica”. Crianças da catequese, Milena Nogas Ramos e Eduardo José de Almeida, e os jovens primos Thaícia Nogas e Henrique Nogas entregaram um ramalhete ao Metropolita. O Presidente-Executivo Sr. Pedro Nogas e sua esposa Sra. Neonilia o saudaram com pão e sal.


Fonte; metropolia.org.br





Link desta Notícia - Espalhe por ai.
   Compartilhar essa Notícia:




  #Veja mais Notícias!
15/08/2017 - Na Ucrânia dividida por conflito, crianças aprendem a arte da guerra
15/08/2017 - Do comunismo à efervescência, uma visita agitada a Kiev
05/06/2017 - Inaugurada igreja monumental em Marcelino
10/05/2017 - Ucrânia: uma guerra esquecida na Europa
08/05/2017 - A saga dos imigrantes ucranianos no Brasil
08/05/2017 - Quase fantasma, Chernobyl é um paraíso dos “animais radioativos”
08/05/2017 - Steven Seagal banido da Ucrânia por ser "ameaça à segurança nacional"
11/01/2017 - Antigas igrejas de madeira unem Eslováquia e Ucrânia
11/01/2017 - Visite a Ucrânia dentro do Paraná
29/10/2016 - Maior avião do mundo, Antonov AN-225 vem para o Brasil em novembro
 
 

www.radios.com.br

   

 
   
© 2011/13 - Todos os direitos reservados - Criação /Streaming /Hospedagem: www.agenciapremium.com