Untitled Document

 

 

 

 

 

31/07/2015 às 18h07min - Atualizada em 31/07/2015 às 18h07min
Pe. Josafá Firman - União da Vitória(PR)
Tamanho da Fonte    A- A+

Reflexão: 10º Domingo depois de Pentecostes (02/08/2015).!
10ª Неділя по Зіслання Святого Духа.! Leituras: 1Cor. 4, 9-16; Mt. 17, 14-23.

Слава Ісусу Христу! – Слава на Віки!
Louvado Seja o Nosso Senhor Jesus Cristo! – Para Sempre Seja Louvado!

10º Domingo depois de Pentecostes ou da vinda do Divino Espírito Santo.
10ª Неділя по Зіслання Святого Духа.

Caros Irmãos e Irmãs em Cristo Jesus! O Evangelho da Liturgia deste final de semana nos narra Jesus curando o menino epilético. Com este relato, Jesus ensina para os seus apóstolos e hoje, para cada um de nós cristãos, a necessidade, o grande valor da fé e da confiança em Deus para que possamos, assim, agir e viver segundo os desejos de Deus. Jesus Cristo instrui a comunidade sobre isto através ou a partir de um fato concreto, a saber, através do milagre da cura. A fé é fundamental e indispensável para que Deus possa agir em nós e, assim, poder transformar a nossa vida.
Também, São Paulo, na Carta aos Coríntios afirma que nós somos ministros de Cristo e, como tais, devemos seguir a Cristo em todos os momentos da nossa vida. São Paulo se coloca como um exemplo no seguimento de Jesus Cristo com estas palavras: “Rogo-vos, portanto, que sejais meus imitadores.” (1Cor. 4,16). Portanto, procuremos sempre imitar São Paulo e, mais do que ele, sejamos sempre imitadores de Jesus Cristo.
Procuremos e busquemos sempre fortalecer, através da oração, a nossa fé e a nossa confiança em Deus para que possamos ser, assim, verdadeiros e autênticos colaboradores da grande obra de Deus que é e implantação e concretização do Reino de Deus no mundo. Deus conta com a colaboração de cada um de nós. Jamais nos esqueçamos disso.

“Embora a pedra fosse selada pelos judeus e o teu puríssimo Corpo fosse guardado pelos soldados, ressurgiste ao terceiro dia, ó Salvador, dando a vida ao mundo! Por isso, as Potências celestes exclamaram-te, ó Autor da vida: ‘Glória a tua Ressurreição, ó Cristo, glória a tua Realeza, glória a tua Providência, ó Tu que amas a humanidade’!” (Tropárion dominical, melodia 1)

“Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo! Tu, sendo Deus, te levantaste do túmulo, e devolveste a vida ao mundo; a natureza humana, por isso te louva: a morte foi vencida, Adão se regozija, ó Mestre, e Eva, liberta agora das cadeias da morte, com alegria exclama: Tu, Cristo, és o que a todos dá a Ressurreição! Salva maravilhosamente seu servo e usa de misericórdia com seu ungido.” (Kondákion dominical, melodia 1)

Jesus cura um menino epilético: “Homens de pouca fé”.!

Neste 10º domingo depois de Pentecostes vemos Jesus alertar os seus discípulos sobre o sentido da verdadeira fé, pois eles não puderam realizar o milagre da cura por causa da pouca fé. O dom da fé nos é dado a todos no Batismo. Urge que vivamos a fé, acreditando mesmo em Jesus como Deus e como Salvador e que realmente pode realizar tudo o que é bom e, particularmente, para a nossa salvação.
Apresentou-se diante de Jesus um pai suplicando: “Senhor tenha piedade do meu filho. Ele sofre de ataques (...) eu pedi para que os teus discípulos o curassem, mas não puderam.” Jesus respondeu: “homens de pouca fé, até quando vos suportarei? Tragam o menino.” E Jesus com a sua palavra curou o menino. Os discípulos ficaram um pouco com inveja de Jesus e lhe disseram: “porque nós não pudemos curar?” E Jesus novamente lhes disse: “por causa da vossa pouca fé”.
Vemos o quanto é importante o dom da fé para cada pessoa e, em particular, para cada cristão. Só com a fé podemos agradar a Deus. Só através da fé conhecemos as verdades de Deus. Só tendo fé profunda podemos amar a Deus e seguir os passos de Jesus no cumprimento da nossa missão.
Peçamos hoje que Deus aumente a nossa fé. Que o Espírito Santo sempre esteja no nosso coração para que possamos ouvir a voz de Deus nos conduzindo pelos caminhos da salvação.

“Agora e sempre e por todos os séculos dos séculos. Amém! Quando Gabriel te saudou, ó Virgem, dizendo: «alegra-te!» e com sua voz, o Salvador encarnou-se em ti, tabernáculo santo; e, como falava o Justo Davi: «veio do céu trazendo o Criador de tudo», glória Àquele que habita em ti, glória Àquele nascido de ti e que nos libertou!” (Theotókion dominical, melodia 1)

Frutos da Oração.!

Quem reza aceita obediente à vontade de Deus. Aceita seus desígnios. Não questiona as dificuldades impostas pelo transcorrer dos acontecimentos, não atribui ao Criador responsabilidades que lhe são alheias; enxerga em cada instante o atuar incessante de sua providência nos caminhos da história. Enche-se de coragem e de entusiasmo e enfrenta as barreiras, pois sabe que Deus não lhe faltará.
Outro fruto da oração é a obediência à sua Palavra. Jesus, sinal da perfeita comunhão entre o homem e o Pai, entre o humano e o Divino, foi obediente à vontade de Deus. Predisse a seus discípulos, após curar aquela criança, que iria padecer e morrer mas ressuscitaria no terceiro dia. Seus seguidores não compreenderam aquelas divinas palavras, não sabiam do que ele falava. Compreenderiam mais tarde, quando o Divino Paráclito lhes foi enviado. É imprescindível que o Espírito Santo norteie nossos passos, que ele dirija nossos caminhos para que possamos compreender as palavras, os ensinamentos de Jesus nos dias atuais. As palavras são eternas, não mudam. Nossas atitudes diante delas é que precisam ser transformadas pelo Espírito Santo.
Nossa fé ainda permanece pequena, mas há quem a tenha muito maior do que o tamanho de uma semente de mostarda. Talvez, estes, para não ganhar o aplauso vil do mundo, não estejam transportando montanhas, mas fazem a santidade de vida ser uma realidade possível. Vivem no anonimato servindo seu próximo no silêncio, procurando curar as pessoas das novas doenças deste século. São santos agindo no meio da multidão de maneira despercebida mas atuante, como fermento levedando a massa. Homens de jejum, oração, que se abrem todos os dias à obediência e à escuta da Palavra de Deus; agem assim movidos pela fé e sabem que é pela candura, pela simplicidade e pela humildade do servir que recuperam a imagem da criança adormecida em nós e tão amada e valorizada por Jesus.

“Venha sobre nós, Senhor a tua misericórdia conforme nossa esperança em Ti. (Sl 33, 22)!” “Justos, alegrai-vos no Senhor, porque aos homens bons convém o louvor. (Sl 33,1)!” “Por isso eu te clamo como o Filho Pródigo: pequei contra Ti, ó Pai Misericordioso! Recebe-me arrependido e faze-me um de teus servos.” (Prokimenon dominical, Melodia 1)

Mensagem para Agosto: Mês Vocacional.!

“Pedi ao Senhor da Messe que envie operários...”

Caros irmãos e irmãs em Cristo Jesus.! Estamos no mês de agosto e, no Brasil, a Igreja Católica celebra o mês das vocações. A Igreja no Brasil nos convida a refletirmos sobre o grande dom que Deus continuamente nos dá, isto é, o dom da vida. Nascer neste mundo é já uma grande graça. Nascer para a vida eterna através do Batismo é uma graça maior ainda. Tornamo-nos filhos de Deus. Por isso, a Igreja quer nos conscientizar do valor da vida: como dom de Deus. A vida não nos pertence. Ela nos é dada para que façamos dela também um dom para o próximo. A vida só tem sentido quando vivida para o outro, para Deus.
A vocação sempre indica um chamado. Quem chama, sempre deseja alguma coisa da pessoa a quem chama. Deus chama sempre para dar algo. Ele chamou todos os seres humanos do nada para dar-lhes a vida. Ao sermos chamados à vida nos comprometemos estar a serviço dos outros, a cumprir uma determinada missão, para que todos possam bem viver. Ao sermos chamados a qualquer estado de vida, sacerdotal, religiosa, matrimonial, assumimos um compromisso específico, com a comunidade humana, orientando-a na busca da realização e da felicidade.
A partir disto poderíamos dizer que a vocação é a oferta divina, que exige uma resposta e um compromisso com Deus por parte do ser humano. Nesta definição de vocação percebem-se três aspectos: a oferta de Deus, a resposta por parte do ser humano e o compromisso com a missão.
Neste mês somos chamados, portanto, a refletirmos sobre a vocação de cada um de nós. Deus nos chamou à vida, mas também nos deu uma missão a ser cumprida no nosso dia a dia para alcançarmos a recompensa eterna, a nossa salvação. Que cada um de nós se conscientize cada vez mais da sua vocação, da sua missão e procure vive-la do melhor modo possível como serviço ao próximo a exemplo de Jesus que diz: “Eu não vim para ser servido, mas para servir”.

Primeiro Domingo e Primeira Semana:

Neste primeiro domingo do mês vocacional, portanto hoje e, em toda semana, em particular, celebramos a vocação ordenada, ou seja, a vocação do sacerdócio, da qual fazem parte o Bispo, o Padre e o Diácono. Por vontade de Cristo, o único e eterno sacerdote, existem os sacerdotes a serviço de Cristo, da Igreja e da comunidade. São eles chamados a serem a ponte entre Deus e os seres humanos, particularmente pela oração e pela celebração da Divina Eucaristia.
A função do sacerdote é tornar perene a obra essencial dos Apóstolos, isto é, tornar Cristo cabeça da comunidade eclesial, presente, exercendo a sua função de redenção humana e de perfeita glorificação do Pai. Isto através da proclamação eficaz da Palavra de Deus, da congregação e governo da comunidade, da remissão dos pecados e, sobretudo, através da celebração da Eucaristia, onde palavra e sacramento atingem sua culminância.
A Igreja nos convida a rezarmos pelas vocações sacerdotais. Rezemos por todos os sacerdotes da nossa Igreja, para que eles tenham a perseverança nesta sua missão de anunciar o evangelho e de celebrar os sacramentos a serviço da comunidade, da Igreja e do Povo de Deus. Rezemos para que sejam eles fiéis à sua missão, a Deus e à Igreja. Rezemos hoje e durante toda a semana de modo especial pelas vocações sacerdotais.
Rezemos também para que Deus desperte nos corações dos nossos jovens a vocação para o sacerdócio e que nunca falte na nossa comunidade o Padre como ministro da Palavra e da Eucaristia, tornando Cristo presente na comunidade. Rezemos pelos nossos sacerdotes e também rezemos pela perseverança dos nossos seminaristas.
Que cada um de nós se conscientize cada vez mais da sua vocação, da sua missão e procure vive-la do melhor modo possível como serviço ao próximo a exemplo de Jesus que diz: “Eu não vim para ser servido, mas servir”.

“Deus assegura a minha vitória e me submete os meus adversários.” (Sl 18, 48) “Salva maravilhosamente seu servo e usa de misericórdia com seu ungido.” (Sl 18, 51) “Louvai o Senhor no céu, louvai-O nas alturas (Sl 148, 1)!” (Aleluia e Salmo de Comunhão, Melodia 1)

Participemos com muita devoção, alegria e fé da Divina Liturgia, para que juntos possamos professar a mesma fé em Cristo Jesus, como Salvador, na unidade realizada pelo Espírito Santo para glória de Deus Pai.
Desejamos a todos um abençoado domingo e que a proteção de Deus esteja com todos nós durante este domingo e durante toda semana que hora iniciamos. Que possamos neste mês crescermos no entendimento da nossa vocação como cristãos. Que a luz de Cristo brilhe para todos nós nesta semana. Que Nossa Senhora proteja a todos! Na paz do Senhor e com as bênçãos do Altíssimo.

Слава Ісусу Христу! – Слава на Віки!
Louvado Seja o Nosso Senhor Jesus Cristo! – Para Sempre Seja Louvado!

Elaborado pelo Pe. Edison L. Boiko – Pinheirinho – Curitiba/PR.
Editado, complementado e postado pelo Pe. Josafá Firman – União da Vitória/PR.



Link desta Notícia - Espalhe por ai.
   Compartilhar essa Notícia:




  #Veja mais Posts do Blog
31/07/2015 - Reflexão: 10º Domingo depois de Pentecostes (02/08/2015).!
26/07/2015 - Reflexão: 9º Domingo depois de Pentecostes (26/07/2015).!
19/07/2015 - Reflexão: 8º Domingo depois de Pentecostes (19/07/2015).!
19/07/2015 - Reflexão: Dia de São Valdomiro, o Grande (15/07) e de Santa Olga (11/07). (15/07/2015).!
10/07/2015 - Reflexão: 7º Domingo depois de Pentecostes (12/07/2015).!
10/07/2015 - Reflexão: 6º Domingo depois de Pentecostes (05/07/2015).!
29/06/2015 - Reflexão: Festa dos Santos Apóstolos São Pedro e São Paulo (29/06/2015).!
26/06/2015 - Reflexão: 5º Domingo depois de Pentecostes (28/06/2015).!
26/06/2015 - Reflexão: Festa da Natividade de São João Batista (24/06/2015).!
20/06/2015 - Reflexão: 4º Domingo depois de Pentecostes – Domingo de Todos os Santos da Nação Ucraniana (21/06/2015).!
 
 

www.radios.com.br

   

 
   
© 2011/13 - Todos os direitos reservados - Criação /Streaming /Hospedagem: www.agenciapremium.com